MEDIDAS COVID-19

ADAPTAÇÃO DAS ORIENTAÇÕES DA CONFERÊNCIA EPISCOPAL PORTUGUESA PARA A CELEBRAÇÃO DO CULTO PÚBLICO NA IGREJA DO CONVENTO DE SÃO DOMINGOS

 

Ao mesmo tempo que se retoma a participação comunitária na Liturgia, há que garantir a protecção contra a propagação e infecção do Coronavírus. Para isso é necessário que todos sejamos responsáveis e respeitadores destas orientações porque são importantes, mas também por bom exemplo que, como cidadãos e cristãos devemos dar.

 

 

I. PONTOS PRÉVIOS

 

1. Os fiéis que estão ou se sentem doentes não devem vir à Missa. Poderão acompanhar a celebração pelos meios de comunicação social.

 

2. Os fiéis pertencentes a grupos de risco não devem vir à Missa ao domingo. Poderão vir à Missa durante a semana, em que há menos fiéis.

 

3. Teremos uma equipa de acolhimento e ordem (EAO) para cada Eucaristia. Esta equipa ajudará os fiéis no cumprimento das normas de protecção.

 

4. Uma vez que a porta principal da igreja é bastante larga estará aberta durante as celebrações, excepto se estiver mau tempo. A entrada e a saída da igreja far-se-á pelo lado direito de quem entra e sai. Aí estará um membro da EAO para gerir as entradas e saídas da igreja.

 

 

II. ANTES DA MISSA

 

5. Os fiéis devem higienizar as mãos à entrada da igreja com um produto desinfectante. Um membro da EAO porá à disposição frascos dispensadores com uma quantidade suficiente de produto desinfectante e verificarão que todos, sem excepção, desinfectam as mãos. Nas Missas deve-se exortar as pessoas a trazerem o seu próprio desinfectante e desinfectar as mãos.

 

6. É obrigatório o uso de máscara durante toda a celebração, excepto no momento da recepção da Comunhão eucarística.

 

7. O acesso dos fiéis às Missas dominicais, às celebrações da Palavra e a outros actos de culto será limitado no número de participantes. A igreja estará dividida em três partes: a coxia da direita (lado do claustro) destinada a casais e pessoas que coabitam (2ou 3 pessoas), a da direita (lado do sacrário) a famílias (4 ou mais pessoas e comunidades) e fora das coxias, nos acessos laterais, cadeiras para pessoas que vêm sozinhas à Missa. Fora da igreja, quando o tempo o permitir, serão disponibilizados bancos para que as pessoas possam participar na Missa ao ar livre.

 

 

8. Deve respeitar-se a distância mínima de segurança entre participantes de modo que cada fiel disponha, só para si, de um espaço mínimo de 4 m2; os fiéis sentar-se-ão nos seus lugares e haverá sempre um banco bloqueado. A regra do distanciamento não se aplica a pessoas da mesma família ou que vivam na mesma casa.

 

 

III. DURANTE A MISSA

 

9. Os fiéis ocupam os lugares previstos, mantendo as distâncias estabelecidas sob a supervisão das EAO. Não se separam as famílias ou os que vivem na mesma casa. As primeiras pessoas a entrar devem ocupar os primeiros lugares.

 

10. O gesto de paz continua suspenso, podendo o celebrante convidar a assembleia a rezar com ele a oração “Senhor Jesus Cristo…”.

 

11. Não haverá procissão para a Comunhão. Os fiéis permanecem no seu lugar e o celebrante, com os ministros extraordinários da comunhão, distribuem a comunhão pelos fiéis que comungam.

 

12. O diálogo individual da Comunhão («Corpo de Cristo». – «Ámen.») pronunciar-se-á de forma colectiva depois da resposta «Senhor, eu não sou digno…», distribuindo-se a Eucaristia em silêncio.

 

 

IV. DEPOIS DA MISSA

 

13. Se as portas foram fechadas durante a missa, os membros da EAO abrem-nas depois da bênção final.

 

14. Os fiéis deixam a igreja de forma ordenada, com a ajuda dos membros da EAO. Não se devem aglomerar nem dentro nem fora da igreja. As primeiras pessoas a sair devem ser as que estão mais próximas da porta de saída.

 

15. Após a Missa, procede-se ao arejamento da igreja durante pelo menos 30 minutos, e os pontos de contacto (vasos sagrados, livros litúrgicos, objectos, bancos, puxadores e maçanetas das portas, instalações sanitárias) devem ser cuidadosamente desinfectados.

 

16. As igrejas podem estar abertas durante o dia para visitas individuais de oração ou adoração ao Santíssimo Sacramento, desde que se observem os requisitos determinados pelas autoridades de saúde. Os fiéis abster-se-ão de tocar em qualquer imagem ou objecto expostos.

 

 

 

 Convento de São Domingos, 23 de Maio de 2020.

R. João de Freitas Branco, 12, 1500-359 Lisboa  | Email: igrejadominicanoslisboa@gmail.com

  • Convento de São Domingos de Lisboa
  • Igreja do Convento de São Domingos - Dominicanos